Vigilância e Voyeurismo

Na postagem da Quarta-Feira passada (02 de Dezembro) falou-se um pouco sobre subjetividades envolvidas quando pesquisamos o tema Vigilância.

Entre essas subjetividades encontradas pode-se citar a questão que se refere ao uso de novas tecnologias (celular, por exemplo) por homens que filmam mulheres em trens, metrôs, ônibus, e até mesmo em casas de show, aproveitando-se do estado etílico de suas “vítimas”, para uso prazeiroso do resultado das filmagens. Um novo estilo de voyeurismo.

Vejam este exemplo demonstrado em matéria jornalística da BandNews de 31 de Março de 2009:

.

Ao final da matéria uma advogada ouvida pelo repórter sugere, paradoxalmente, que a melhor forma de reprimir a vigilância “não admitida” de voyeuristas sobre suas “vítimas” seria o uso de câmeras dentro dos locais onde ocorrem as filmagens.

Ou seja, a vigilância “legal” do Estado como forma de inibir a vigilância “ilegal” do indivíduo voyeur.

Anúncios

Sobre cbaqueiro

Graduado em História e Jornalismo. Pós-Graduando em Jornalismo e Convergência Midiática, com pesquisa sobre o tema Vigilância e Controle Social
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Vigilância e Voyeurismo

  1. Anonymous disse:

    >olá,e vem a pergunta de sempre.quem vigia quem está vigiando ?nem a advogada, coitada, deve saber a resposta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s