Análise de Reportagem: Jornalismo e Sensacionalismo

Essa semana a Revista Veja São Paulo faz o perfil de José Luiz Datena. Ele apresenta o programa Brasil Urgente, de segunda a sexta-feira, na Band. De São Paulo para o mundo sempre às 17 horas da tarde. Para isso ele hoje fatura 1 milhão por mês, graças aos 10 pontos de pico que faz no Ibope, o que corresponde a 580.000 televisores ligados, somente na Grande São Paulo.

Os tipos de bordões que ele utiliza nos conduzem a entender que tipo de jornalismo ele faz: “Os impostos neste país são uma vergonha” ou “Onde estão os direitos humanos da vítima assassinada?”.

Este é o tipo de jornalismo feito por muita gente no Brasil em busca da mesma audiência e sucesso de Datena. Na Bahia temos José Eduardo (Bocão) e Raimundo Varela, no Rio de Janeiro conhecemos Wagner Montes.

Seja com notícias a respeito de simples congestionamentos, ou de roubos, brigas de vizinhos ou assassinatos, o clima de denuncismo e sensacionalismo é frequente nos seus programas. Um colega meu do curso de jornalismo foi trabalhar com um desses apresentadores. Da última vez que o encontrei me disse que estava super feliz de estar fazendo um trabalho de serviço público. De informar ao público “o que acontecia de verdade na cidade“.

Fazer uma análise apenas técnica de reportagens sobre a forma de trabalho daqueles apresentadores pode não parecer tão complexo. Poderíamos, por exemplo, tentar perceber se eles compreendem o lugar da notícia como se aprende na faculdade.

A reportagem de Wagner Montes, que apresentei na postagem anterior, tem suas notícias de acordo com as características privilegidas pelos professores em sala de aula ?

No início do curso de jornalismo aprendemos quais as características da notícia que devem ser privilegiados (Wikipedia):

  1. Novidade: a notícia deve conter informações novas, e não repetir as já conhecidas
  2. Proximidade: quanto mais próximo do espectador for o local do evento, mais interesse a notícia gera, porque implica mais diretamente na vida do leitor
  3. Tamanho: tanto o que for muito grande quanto o que for muito pequeno atrai a atenção do público
  4. Relevância: notícia deve ser importante, ou, pelo menos, significativa. Acontecimentos banais, corriqueiros, geralmente não interessam ao público .

Wagner Montes apresenta novidades ? Indiscutivelmente. Os problemas que ele leva ao espectador são próximos a ele ? Sim, com certeza. Tamanho e relevância também não são discutíveis nas notícias trazidas no programa do ex-jurado do programa Silvio Santos, nas tardes dos Domingos.

O que parece faltar a estes programas encontra-se em suas entrelinhas. Falta-lhes, frequentemente, apuração rigososa dos fatos. Falta-lhes a tentativa de isenção, observando os vários lados e focos de um acontecimento.

Nilson Lage, no livro Estrutura da Notícia, lembra que esse gênero de jornalismo nasce dos tempos de Joseph Pulitzer, em fins do Século 19, nos Estados Unidos. Ali, “a imprensa americana adquiriu novo aspecto, dando ênfase às histórias sentimentais e de crimes que distraem e ao mesmo tempo projetam aspirações e angústias das grandes massas. O tratamento emocional desses temas gerou o que se chama de imprensa sensacionalista – competitiva, voltada para a coleta de informações a qualquer preço e, eventualmente, mentirosa”.

É partindo desta perspectiva histórica e teórica que continuarei analisando a reportagem do programa Balanço Geral.

Anúncios

Sobre cbaqueiro

Graduado em História e Jornalismo. Pós-Graduando em Jornalismo e Convergência Midiática, com pesquisa sobre o tema Vigilância e Controle Social
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Análise de Reportagem: Jornalismo e Sensacionalismo

  1. Mauro Schorr disse:

    O lado reptiliano, instintivo, primal, é o exarcebado em sua sociedade ainda muito primitiva, e distante de uma pespectiva de evolução espiritual. Falar dos outros, de crimes, de desvios, ajuda mais a poluir a mente, mas enaltecer as soluções, a educação socioambiental, em escala ampla, parece que não traz muito lucro imenso e imediato a estes egolatras egoistas incoerentes. Tambem lhes falta silêncio, tranquilidade, essencialidade, e mostrar mais as saídas aos nossos complexos problemas de uma população concentrada em gdes ciddes e sumamente materialista. Vejam http://www.institutoanma.org

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s