Orquestrando a Desigualdade Social

Como vimos há algumas semanas atrás numa postagem aqui, uma cidade como São Paulo já possui milhares de câmeras monitorando os indivíduos que por ali habitam, ou apenas passam temporariamente. Em 4 ou 5 anos há indicativos, para a maior cidade do país, que prevêem 1 milhão daquelas câmeras que além de filmarem terão possibilidades que irão do reconhecimento de face ao controle de multidões, com complementos de auto-falantes, por exemplo.

Isso não acontece somente em São Paulo. Se formos ao Site do Google e pedirmos ao moderno oráculo para nos mostrar notícias sobre Câmeras de Vigilância poderemos ter uma surpresa, tal é a quantidade de grandes e pequenas cidades brasileiras que escolhem este tipo de dispositivo de monitoramento urbano para tentar diminuir os níveis de violência social.

Foi tentando entender a questão da instalação dessas câmeras (CCTVs) nas cidades que Nelson Arteaga Botello pesquisou, até 2007, a experiência ocorrida no município de Huixquilucan, localizado na Zona Metropolitana da capital mexicana.

O artigo “Orquestração da Vigilância Eletrônica: Uma Experiência em CCTV no México”, publicado no livro Vigilância e Visibilidade: Espaço, Tecnologia e Identificação, resume aquela pesquisa.

No artigo ele começa explicitando como as novas tecnologias eletrônicas conseguem dar continuidade a um velho processo de controle social do Estado sobre os indivíduos e grupos.

No caso específico do município estudado, o autor percebe uma lógica que une a necessidade de proteção de bairros com média a alta valorização espacial (moradia das classes média e alta) e o controle social de zonas mais pobres ou “populares“. Ou seja, o sistema de CCTVs é planejado, concretamente, “no sentido de construir uma ‘fronteira segura’ para proteger a população da zona residencial dos outros grupos sociais“.

É bastante interessante a forma de publicidade dos dispositivivos de vigilância já montados em redor da cidade. Para os moradores das zonas “residenciais“, de maior renda, são reforçadas as informações sobre “os benefícios de redução dos riscos de segurança pública e bem-estar“, incluindo a potencialidade em perceber problemas de serviços públicos, como vazamentos de água, etc.

Contrariamente, quando os “ouvintes” convidados a palestras e audições são estudantes de escolas das zonas “populares“, a enfase se direciona para questões disciplinares:

Mostram-lhes a necessidade de serem cuidadosos para não infringirem a lei e cometer atos que poderiam ser considerados ilegais, pois provavelmente estarão sendo observados por uma câmera de vídeo.

Os estudantes serão provavelmente multiplicadores da informação para suas pobres famílias. E esta estratégia de proteção, segurança e controle social (85% das câmeras foram instaladas na área “residencial“) será também multiplicadora de mais exclusão social. De um maior distanciamento entre as zonas de indivíduos de maior poder aquisitivo e as zonas “populares“.

Este é um caso particular, mas não seria ultrapassar os limites do bom senso tentar compreender todas as formas de Vigilância Estatal como fenômenos que não são neutros, ou imparciais. E que não sejamos reducionistas ao extremo para imaginar que processos, como aquele da cidade mexicana, trazem consigo, como consequência, somente a redução de riscos aos quais os “cidadãos” estão expostos nas zonas urbanas.

Anúncios

Sobre cbaqueiro

Graduado em História e Jornalismo. Pós-Graduando em Jornalismo e Convergência Midiática, com pesquisa sobre o tema Vigilância e Controle Social
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Orquestrando a Desigualdade Social

  1. Pingback: SEGURANÇA EM LONDRIN « blogcandidatovereadorlondrina

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s